× Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Altamiro Fernandes
A vida em verso e prosa
Textos
RIO DO TRISTE RIO
 
 
 
              Rio eu do triste inocente rio
                    que – só, rindo – teima em viver!
                    Rio, eu, do tolo nefasto homem,
                    Que – matando o rio – também, irá morrer.
                    Rio eu do moribundo rio,
                    pois, doente, só rindo – corre ao mar.
                    Siga só rindo, rio – benévolo rio!
                    Irrigando campos para ao homem salvar.
                    Rio – caminho que anda só – rindo
                    em fúnebre cortejo sem vida, a vagar.
                    Não ria do rio – homem insensato!
                    Pois a morte do rio vai fazê-lo chorar.

 
***********
                    Texto: Altamiro Fernandes da Cruz
                    Imagem: Google
Altamiro Fernandes da Cruz
Enviado por Altamiro Fernandes da Cruz em 14/08/2020
Alterado em 14/08/2020
Comentários